.
SE MELHORAR, ESTRAGA



Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas revela que a construção civil fecha o ano no país com expansão de 11%, empregando hoje 2,6 milhões com carteira assinada.

O problema é que, se melhorar, estraga.

Ela vai para 2011 com mais de 150 mil vagas não preenchidas, por escassez de mão de obra especializada./ Incluídas as engenharias de projeto e de construção.

O reaquecimento do mercado está no limite da capacidade de produção de materiais. Nas grandes cidades, os terrenos ficaram, este ano, de 30% a 50% mais caros, até porque os novos padrões de financiamento do crédito imobiliário e os ganhos de renda real dos brasileiros apontam para a expansão continuada do setor habitacional.

E na construção pesada, a expectativa de que teremos no Brasil, nesta segunda década, o segundo maior canteiro de obras do mundo, depois do planeta China.

Saravá!

(10/12/2010)