.


FEDERAL RESERVE ANIMA MERCADOS



O mundo sorriu com as declarações do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, nesta quinta, 13 de setembro. Ele confirmou a decisão de o Fed lançar uma nova rodada de compra de ativos, sem prazo e sem volume fixos, de at é US$ 40 bi mensais, para fortalecer a economia e recuperar o mercado de trabalho, que considera preocupante.

As bolsas de valores subiram em praticamente todas as grandes cidades com pregão aberto depois de seu discurso: em São Paulo, avançou 3,40%, para 62.958 pontos. Em Nova York, altas de 1,53% (Dow Jones) e 1,63% (S&P).

Com o programa semelhante, em vigor desde 2010, estão disponíveis US$ 85 bi por mês, nessas mesmas condições. "Embora a economia pareça estar em um ritmo de recuperação moderado, não está crescendo rápido o suficiente para fazer progressos significativos, para reduzir a taxa de desemprego. Pouco menos da metade dos 8 milhões de empregos perdidos na recessão foi recuperada. E a taxa de desemprego em 8,1% está quase inalterada desde o início do ano", disse, segundo as agências noticiosas informam.

"Vamos buscar uma economia em aceleração, que dê sinais de continuada melhora, que permita que os mercados de trabalho sejam mais fortes. Não temos um número único para isso", acrescentou, pedindo ao Congresso e ao presidente Barack Obama ações de ajuda adicional à economia. É que, disse ainda, "a taxa de desemprego vai cair, mas não rapidamente. Eu não estou certo de que nossos instrumentos sejam assim fortes."

Pibômetro
O Fed também reduziu sua estimativa para o crescimento da economia americana este ano: de 1,9% e 2,4% (previsão de julho) para a faixa de 1,7% e 2%.

Para 2013, o Fed prevê melhora, com crescimento 1,9% e 2,4% (previsão de julho) para 2,5% a 3%. Para 2014 e 2015, as projeções são de avanços entre 3% e 3,8%.

(13/09/2012)