.


PIBINHO ESTE ANO?



Saiu o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, o IBC-Br, que antecipa a evolução do PIB: recuo de 0,52% de agosto para setembroi, com dados dessazonalizados. No acumulado do ano, a expansão é de 0,92% sobre o mesmo período de 2011, também dessazonalizada. E em 12 meses, nos mesmos termos, a alta é de 0,98%.

A primeira
Foi a primeira queda do IBC-Br desde março (-0,18%) e a maior retração do índice desde outubro 2011 (-0,58%). O índice do BC leva em conta o desempenho da agropecuária, da indústria e dos serviços, mais impostos sobre produtos.

Setembro melhor
Na comparação setembro/setembro, o IBC-BR teve alta de 2,39%. E de agosto para setembro, sem ajuste sazonal, queda de 4,68%. No terceiro trimestre, o IBC-Br continuou em alta, 1,15% agora, sobre 0,61% no segundo e 0,26% no primeiro trimestre.

Neste ano
De janeiro a setembro deste ano, sobre a do ano anterior, a elevação é de 1,20% (sem ajuste sazonal). O Ministério da Fazenda prevê PIB aumentando 2% este ano (menos que os 4% e 3% antes previstos). O BC projeta 1,6% de avanço (menos que os 2,5% anteriores). O mercado financiero, 1,54%.

Antes
Em 2011, o PIB cresceu 2,7%. Em 2010, tinha avançado 7,5%, depois do recuo de 0,3% em 2009.

Genéricos avançam
Informa a Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos): no terceiro trimestre, em comparação com o mesmo período de 2011, a venda de medicamentos genéricos cresceu 16,6% em volume, passando de 154,1 milhões de unidades para 179,7 milhões, segundo dados do IMS Health, instituto auditor do mercado farmacêutico global. O faturamento, na mesma comparação, cresceu 21%, de R$ 2,3 bi para R$ 2,8 bi.

Alerta
Detalhe: essa foi a menor expansão em um terceiro trimestre desde 2001, quando os genéricos começaram a ser vendidos no mercado brasileiro. E, se o resultado segue sendo bastante positivo para o setor, chama a atenção pelo ritmo menor de avanço, por "algum reflexo de desaquecimento econômico ou comprometimento da renda".

Ritmo menor 1
No acumulado do ano até setembro, a venda de genéricos cresceu 19,8% em unidades este ano: menos que em 2011 (31,8%) e 20120 (32,8%).

Ritmo menor 2
O mercado farmacêutico total também perdeu ritmo no terceiro trimestre: foram vendidos 680,6 milhões de unidades neste ano, com alta de 12%, abaixo dos 13% de avanço no terceiro trimestre do ano passado sobre o do ano anterior.

Boa fatia
A participação dos genéricos no mercado total continua a aumentar: 26,6% do total este ano e 25,6% um ano antes. Essa fatia deve chegar a 30% ao final de 2013. Segundo a ProGenéricos, a venda desses medicamentos, desde sua criação, resulta em economia equivalente a R$ 30,4 bi aos consumidores brasileiros até agora. As associadas da Pró Genéricos concentram mais de 90% das vendas do segmento.









13 novembro 2012

(14/11/2012)